Conferencias da Gamescom2014

Especial Gamescom 2014: Conferências

Gamescom é o maior evento de games da Europa e ganha destaque a cada ano que passa. Ainda não compete com a E3, claro, mas é uma festa de anúncios, gameplays e revelações bombásticas. Essa edição de 2014 ainda está na metade, mas já tem tanto assunto que a gente vai fazer um especial, destacando vários pontos de tudo que rolou (e está rolando) por lá. Que tal começarmos com os grandes destaques das conferências?

Microsoft

Bem centrada nos games, a Microsoft foi a primeira conferência do evento. Com Phil Spencer no comando, a empresa focou-se bastante em seus exclusivos, seja os de peso ou do seu programa ID @ Xbox, que apoia desenvolvedores independentes.

A apresentação, contudo, foi meio insossa, com muita falação e pouca coisa sendo mostrada de fato. Para falar de FIFA 15, por exemplo, chamaram o ex-goleiro da Dinamarca Peter Schmeichel, e acabou rendendo uma conversa sem graça sobre as lendas que o ex-jogador colocaria em seu time no modo Ultimate Team. No entanto, os games ainda conseguiram espaço no meio de toda essa conversa e muitos foram mostrados. Três bundles (conjunto promocional do console + game) também foram divulgados: o de FIFA 15, exclusivo para a Europa, o de Sunset Overdrive e seu X1 brancos e o de Call of Duty Advanced Warfare, com controle estilizado, headset e 1TB de disco rígido.

Meus destaques vão para:

1) A “exclusividade” de Rise of the Tomb Raider, que pegou todo mundo de surpresa. Claro que, mais tarde, foi confirmado que essa exclusividade tem um tempo limitado, mas ainda é um anúncio bombástico, especialmente pra quem o presenciou lá na hora;
2) Finalmente, o gameplay de Quantum Break, que me deixou bastante empolgado. Todo mundo já pensou ou brincou de poder mexer com o tempo e as possibilidades que isso permite, e isso ficou bem bacana no game.
3) Ter SMITE nos consoles me empolga por três motivos. Primeiro, por mostrar que MOBA não precisa ser exclusivo de teclado e mouse. Segundo, por democratizar o gênero. Por fim, dá mais uma opção para competições em consoles.
4) A expansão do universo de Halo em várias mídias, como a série Halo Nightfall, permite um envolvimento ainda maior da franquia com os fãs. Embora eu ache que o Halo Channel (um aplicativo dedicado à saga com a série Halo Nightfall, vários making of’s e possibilidade de assistir aos jogos dos seus amigos) é um pouco desnecessário, toda essa dedicação que a Microsoft está tendo com a série é uma recompensa pelo carinho e anos de jogatina dos gamers.
5) Não havia me empolgado muito com Ori and the Blind Forest até ver o gameplay na conferência. Não tem como não comparar com Rayman e o visual foi simplesmente de encher os olhos.

Jogos presentes na conferência:
Assassin’s Creed Unity
– FIFA 15
Compilação de jogos indie (Blues and Bullets, Cuphead, Dungeon of the Endless, Fruit Ninja Kinect 2, Funk of Titans, Ghost of a Tale, Goat Simulator, Gunscape, Massive Chalice, Inside, Knight Squad, Lovers in a Dangerous Spacetime, #IDARB, No TIme to Explain, Plague Inc: Evolved, Rivals of Aether, Smite, SlashDash, Space Engineers, Spectra, Pneuma: Breath of Life, Threes!, The Escapists, Volgarr the Viking, SpeedRunners, Superhot)
– Mais de Space Engineers
– Mais de Superhot
– Mais de The Escapists
– Mais de Smite
Below
– Call of Duty Advanced Warfare
– Evolve
– Rise of the Tomb Raider
– Quantum Break, exclusivo para Xbox
Fable Legends, exclusivo para Xbox One
Screamride, exclusivo para Xbox
– Forza Motorsport 5, exclusivo para Xbox One
– Forza Horizon 2, exclusivo para Xbox
– Ori and the Blind Forest
Sunset Overdrive
– Halo Master Chief Collection

Assista a toda a conferência da Microsoft no vídeo abaixo [EM INGLÊS]:

Sony

A apresentação, como já aconteceu na E3, também teve bastante foco nos games que estão para sair para as plataformas PlayStation, especialmente para o PS4. Jim Ryan, CEO da Sony Europa (SCEE), foi o mestre de cerimônias, e nos mostrou muita coisa interessante vindo aí.

Uma coisa que gostei bastante foi o fato de não se concentrar nos grandes títulos que estão chegando, como Dragon Age Inquisition, The Witcher 3 e tantos outros que foram exibidos em outras conferências ou já estamos cansados de ver. Claro que Destiny e Bloodborne deram as caras, mas era quase obrigatório falar dos dois.

O foco, no entanto, estava nos exclusivos, como Wild (do criador de Rayman), The Tomorrow Children e Rime,  e nas boas parcerias que fizeram (como a “Keys to Karyat” de FarCry 4, em que você pode chamar até dez amigos para jogar uma partidinha co-op do jogo com você, sem que precisem ter o jogo), além de, claro, mostrar o sucesso que o seu console nextgen vem fazendo (e ainda pode fazer). Uma mostra disso foi o anúncio de que o PS4 já vendeu dez milhões de unidades, uma marca impressionante para um videogame que ainda nem tem um ano no mercado.

Meus destaques vão para:

1) O anúncio de duas DLCs de Destiny em produção. A primeira, chamada The Dark Below, já deve sair em dezembro;
2) A fantástica marca de 10 milhões de PS4 vendidos;
3) O “Share Player”, que estará disponível no patch 2.0 do PS4. Com ele, você vai poder jogar o game que outro amigo tem, mesmo que você não tenha, e seu amigo não precisará estar jogando com você (embora isso também possa acontecer). É como se você emprestasse seu jogo pra um amigo ou o chamasse pra jogar no segundo controle. No entanto, os dois têm de ser assinantes da PS Plus (claro).
4) The Vanishing of Ethan Carter, um jogo de aventura em que você é um detetive que consegue ver cenas de crimes, meio como um médium (eu gosto de histórias de detetives);
5) Tearaway Unfolded, por ser um port (na verdade, não é um port, mas uma reconstrução) de um game do VITA e conseguir usar muito bem os recursos do controle do PS4.

Menção honrosa: P.T. revelou-se mais tarde ser o novo Silent Hill, e falaremos dele com carinho em outro artigo dessa nossa série sobre a Gamescom.

Jogos presentes na conferência:
Bloodborne (gameplay trailer)
The Tomorrow Children, exclusivo para PS4
The Vanishing of Ethan Carter
Volume, do criador de Thomas was Alone
Hollowpoint
– Runemaster (apenas citado)
– DayZ para PS4
Hellblade
Rime, exclusivo para PS4
– Compilação de jogos indie (Snow, Dreamfall Chapters: The Longest Journey, Nom Nom Galaxy, Pix the Cat, Papers Please, Space Brawl, Ether One, Q.U.B.E. 2)
Destiny
Far Cry 4
Middle-Earth: Shadow of Mordor
– Metal Gear Solid V: The Phantom Pain
P.T. (Silent Hills)
Until Dawn
Driveclub
– Tearaway Unfolded
Alienation
Wild

Assista a toda a conferência da Sony no vídeo abaixo [EM INGLÊS]:

EA

Boa parte dos games mais esperados do ano da empresa deram suas caras na conferência e deixou todo mundo empolgado com o que está por vir. No entanto, a única grande novidade foi o anúncio oficial de Shadow Realms e o gameplay do modo singleplayer de BF Hardline.

Meus destaques vão para:

1) O singleplayer de Battlefield Hardline se destacou, pra mim. Embora a história pareça que não vai ser nenhum roteiro de Hollywood, como de praxe, o gameplay mostrado me empolgou bastante, com reconhecimento de bases ao modo Far Cry 3 e até um pitada de furtividade. Será que vão acertar dessa vez?
2) Sério, eu amo a Bioware. O gameplay de Dragon Age Inquisition exibido na conferência explodiu minha cabeça e, depois do anúncio de que o game terá 150 horas de jogatina, vou desde já me despedir da minha vida social.
3) Tá, eu já disse que amo a Bioware, mas destaco o Star Wars: The Old Republic porque é um fato de que é um MMO free 2 play que recebe constantes atualizações, e eu valorizo bastante esse tipo de coisa. Em dois anos, o game já recebeu duas expansões, diversos eventos e vários updates. Para quem disse que o jogo iria morrer rapidinho, a EA e, principalmente, os jogadores mostram que ele está bem vivo.
4) Shadow Realms foi meu grande destaque negativo. Eu esperava algo bem diferente, especialmente vindo da Bioware (não é porque eu a amo que não vou criticar). É um caminho controverso por ser um 4v1 (a comparação com Evolve é inevitável), mas talvez acabe dando certo, pela perspectiva Dungeon Master contra jogadores que pegaram do RPG de mesa. Discutirei mais sobre o game na matéria especial sobre as decepções da Gamescom.
5) Mais dois modos multiplayer divulgados do Battlefield Hardline: Hardwire (modo de perseguição com carros) e Rescue, que é focado em eSports. É inevitável a comparação do modo Rescue com o vídeo de Rainbow Six Siege revelado na E3 desse ano, mas ele parece ser bem menos tático.

Jogos presentes na conferência:

Dragon Age Inquisition
Titanfall: terceira e última DLC divulgada, IMC Rising
NHL 15
– The Sims 4 (Demo Create a Sim disponivel pra todos na Origin)
– Fifa World
Fifa 15
Star Wars: the Old Republic
– Dawngate
Shadow Realms
Battlefield Hardline

Confira a conferência na EA no site http://live-event.ea.com/gamescom/


O que vocês acharam das conferências? Quais seus destaques e opiniões? Coloquem aí embaixo nos comentários e não deixem de conferir nosso próximo artigo sobre a Gamescom 2014, em que falaremos das grandes novidades que apareceram no evento.