Tag Archives: dragon age

Data de lançamento de Dragon Age: Inquisition

Tudo sobre Dragon Age Inquisition

Sumido, porém estou de volta. Depois de uma semana conturbada e um fim de semana de comemorações (meu aniversário + retorno do PC), estou de volta para falar de Dragon Age: Inquisition (ou, simplesmente, DAI). Um super compilado de todas as novidades que surgiram até o momento, incluindo a data de lançamento e o novo trailer. Segura na cadeira que é muita coisa legal. Continue reading

Press Play #2 – Games e Sexo

Press Play de volta no seu segundo episódio (ou capítulo, ou etc), falando dessa vez sobre a enxurrada de sexo nos games. Relacionamento gay em Dragon Age? Inter-espécies em Mass Effect? Cronologia do sexo nos games? Temos de tudo nesse podcast caliente e divertidíssimo, com as participações deste que vos escreve (King), Adelson Tavares, Jean Mota e a aparição feminina de Amanda Rocha. Ouça, divirta-se e não esqueça de deixar sua opinião sobre o assunto nos comentários. Continue reading

Curtinhas 005

Pois é… muito tempo sem postar dá nisso… Um monte de notícia acumulada e eu sem tempo de contar as boas (e más) novas pra vocês. Mas nem pensem que ficarão sem novidades, pois vou dar-lhes aos montes hoje. O “Curtinhas” está de volta para informar-lhes muito em pouco tempo. Se o Game Up da ESPN informa em apenas 15 minutos, eu posso fazer um apanhado bem legal também, mas acho que em um pouco mais de tempo :x. Então, GO GO GO!

Dragon Age II não pode mais ser comprado na Steam, o que era esperado por mim assim que a DLC DAII: Legacy fosse lançada. Explico: depois daquela historinha que lhes contei no post anterior a respeito da EA x Steam, já que a EA não deixa vender nada que fuja do controle de suas maozinhas e a Steam exige a permissão de todo conteúdo de um game ser vendido no seu site, assim que saísse um “extra” de DAII, a Steam pararia de vender o jogo, já que Dragon Age II e EA “tão tudo unido”. Afinal, se não dá pra vender tudo, né… Enquanto isso, os rumores de que Battlefield 3 nem vai pintar pela Steam continuam.

Também comentado no post anterior, o processo da Namco em cima da CD Projekt Red já faz sua primeira “vítima”. Foi confirmado o adiamento de The Witcher 2 para XBOX360 para ano que vem somente, de modo que eles possam resolver esse probleminha com a Namco Bandai e melhorar algumas coisas para a versão do console. O jeito é esperar (ou comprar a versão pra PC).

Mas se você não quiser gastar uma boa grana na versão de The Witcher 2 pra PC, alegre-se, pois Heroes of Newerth agora é F2P, ou seja, de graça. O jogo de estratégia, “irmão menor” do tão famoso DotA e que já era relativamente barato, agora está aberto para todo mundo que quiser jogar. Mas não se aflija, ó pagador, pois você terá vantagens sim. Agora existem três tipos de contas: a básica, que tem um limite de heróis por dia pra jogar, a Verified, pro povo que gasta uma graninha já pra ter algumas vantagens a mais, além do povo que já joga há algum tempo, e a Legacy, que tem acesso a todos os heróis do jogo. Eu já fiz minha conta :).

Falando em DotA, o primeiro campeonato de DotA 2 foi finalmente anunciado e se dará na Gamescon, entre os dias 17 e 21 de Agosto, lá na Alemanha. Dezesseis times concorrem ao espantoso prêmio de UM MILHÃO DE DÓLARES!!! Cara, por que eu fui inventar de jogar DotA pra me formar?

KoF XIII Saiki

Saiki

Se seu negócio é muita porrada, KOF XIII já mostra algumas novidades. Primeiro, é uma super OST com 4 CDs, meio que uma compilação musical dos 18 anos de história do jogo – que deverá ter clássicos como Esaka e Tears, claro, para alegria e de mais alguns amigos -, para quem já encomendar sua versão para PS3 ou XBOX360 na pré-venda. Ontem, foi revelado Saiki, um dos novos personagens dessa edição (imagens abaixo). Saiki é um ancestral de Ash Crimson que volta do inferno – é impressão minha ou a história de KoF tá totalmente noiada há algum tempo? Espero que essa nova versão não me deixe com ainda mais saudades do King of Fighters 98 – e estará junto de outros personagens já confirmados, como Billy Kane, Maxima e Mai Shiranui, aparecendo nos 11 modos do jogo: Story, Online, Survival, Trial, Time Attack, Practice, Arcade, Tutorial, Replay, Customize e Gallery.

Enquanto isso, a acirrada briga entre FIFA 12 e Pro Evolution Soccer 2012 continua. PES anunciou finalmente sua data de lançamento, ao menos para as versões PC, X360 e PS3. Como não podia deixar de ser, a Konami anunciou que o lançamento do jogo será no dia 27 de Setembro, exatamente no mesmo dia que sairá FIFA 12 nas lojas. Isso é que eu chamo de audácia. Para sentir um pouquinho do que está por vir, aqui está um vídeo bem bacana que dá uma idéia do gameplay.

E só pra alimentar os fãs do homem-morcego (e o ódio que podem estar de mim com tantas novidades sobre seu novo game), o vídeo do sr. Oswald Cobblepot em Batman Arkham City pode ser desfrutado mais abaixo. Enjoy!

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=NikGSAU5VwA]

Processos, WoW e PSN Brasil

Desde o surgimento da Origin, a loja virtual de títulos criada pela EA para concorrer com o Steam (embora isso seja negado, lógico), alguns rumores vinham tomando cada vez mais força, até a proibição da venda de Crysis 2 na plataforma Steam. Desde então, a rixa começou a tomar forma de fato e já não encontramos novos games lançados pela EA tão fácil assim na Steam. O problema é que a Steam, para fornecer um título para download, exige que todo conteúdo de um game possa ser vendido em seu site, enquanto a EA exige o controle desse conteúdo, ou seja, expansões, DLCs e patches não poderiam existir na Steam, e aí que embola tudo. Battlefield 3 já encontra-se em pré-venda em alguns sites, mas nada de encontra-lo na Steam. Enquanto isso, os gamers têm uma – ótima – opção a menos para ter seus jogos.

E por falar em rixa, a Namco Bandai criou uma séria com a Projekt Red, produtora de The Witcher 2: Assassin of Kings. A Namco está processando-a por lançar uma versão do jogo livre de copyright pela Good Old Games, da própria empresa. Além disso, a CD Projekt Red também assinou um acordo com a THQ para distribuição nos países do Leste Europeu, Austrália e Nova Zelândia. Nada foi confirmado até agora, exceto a existência dos processos. Mas talvez não seja um problema muito grande para a produtora, já que as mais de 400.000 cópias vendidas até agora renderam alguns trocadinhos.

Outro processo que deu o que falar foi o da Tomita Technologies em cima da toda poderosa Nintendo, por infringir as patentes da tela 3D do Nintendo 3DS, preenchida em Março de 2003. A patente descreve como poderia ser utilizada por um dispositivo que não requer óculos específicos e detalha como alternar as imagens entre o olho esquerdo e direito de forma independente. A julgar pelas dezenas de processos que aparecem por aí a respeito de novas tecnologias (como o próprio processo que rolou contra o Blue-Ray da Sony em Maio), não duvidaria que tenha sido realmente infringido e que a Nintendo, com todo seu poderio, consiga se livrar do processo sem maiores problemas.

Mas como não podemos nos ater apenas a tristezas, vamos comentar sobre algumas alegrias divulgadas durante a semana. Claro que a maior delas deve ser a versão brasileira do MMORPG mais jogado da história, com mais de 12 milhões de contas espalhadas pelo mundo. World of Warcraft deve chegar ainda em 2011, todo traduzido para nossa lingua mãe (com gírias e tudo) e com um precinho mais do que camarada. Em entrevista à Rolling Stone Brasil, Steve Huot, diretor de operações da Blizzard para a América Latina, até revela os preços a serem pagos: R$29 pela embalagem do game, já com a expansão Burning Crusade, e R$15 pela assinatura mensal, e poderá ser pago via boleto bancário e cartões de crédito e débito. Uma ótima notícia para todos os fãs do jogo aqui do Brasil, principalmente por mostrar que o mercado brasileiro está começando a ser levado a sério.

Além disso, no dia 22, o Brasil também teve inaugurada – finalmente – a PS Store, junto com o blog e a página oficial da PlayStation para nossa terrinha. Em comunicado oficial no site, a Sony dá boas vindas ao mercado nacional e cita Glauco Rozner, novo Gerente Geral de PlayStation e VAIO da Sony Brasil: “Hoje damos início a uma nova fase. Com a Playstation Network Brasil, o consumidor brasileiro terá acesso a um mundo de entretenimento singular. Poderá baixar jogos, demos, add-ons, wallpapers e ter acesso a inúmeros conteúdos exclusivos, que estarão disponíveis a todos os usuários do console PS3. Para isso, basta ter uma conexão de internet e criar uma conta na PSN Brasil. A criação de contas é grátis e todos as transações de compra serão feitas em moeda nacional, trazendo muitos benefícios e diversão ao nosso público”.

E o casamento da Sétima Arte e dos games está indo de vento em popa. A Legendary Pictures, por exemplo, já confirmou que o filme de Mass Effect terá um foco maior no primeiro jogo da trilogia (não sei exatamente se isso é bom), enquanto um trailer da webseries baseada em Dragon Age foi revelada na Comic-con que rolou há poucos dias atrás. Dragon Age: Redemption deve começar a aparecer ainda esse ano e tem bons nomes por trás da produção, tais como o ator Doug Jones, de Hellboy, e o diretor Peter Winther, de Independence Day e, claro, a BioWare.

Por fim, para aqueles que, como eu, não estão mais aguentando a espera por Batman Arkham City, a Rocksteady faz mais uma vez a excelente jogada de marketing de ficar lançando bem aos pouquinhos as grandes novidades do game. Dessa vez, na Comic-Con, a Entertainment Weekly mostrou a confirmação de Talia al Ghul, filha do vilão Ra’s al Ghul, que vocês devem lembrar dos quadrinhos e, vez por outra, muito bem retratada na série Batman Animated Series. Batman Arkham City deve chegar às lojas dia 18 de Outubro para PS3, XBOX360 e PC.

Talia al Ghul

Talia al Ghul e sua dubladora, Stana Katic

Dragon Age 2

A palavra com que eu começaria este review é: injusto, por tantas críticas que surgiram durante a semana de lançamento do game. Por várias vezes encontrei-me em uma dúvida cruel se realmente deveria ou não ter o jogo. Ainda bem que o fiz. O jogo não supera o primeiro, mas está quase no mesmo patamar. Dragon Age II é muito bom, com ótimos gráficos e animações, jogabilidade ainda melhor que a do Origins e com uma história que… poderia ser melhor. Se você jogou o demo, pode ter sido pego de surpresa que nem eu. Geralmente, quando você joga um demo, espera-se que ele tenha somente uma parte do jogo, com várias coisas muito legais desabilitadas, de forma que você é atiçado a querer mais. Para minha surpresa, o demo é exatamente igual ao início do jogo, exceto a customização do personagem – que fica desabilitada na demo. Talvez esse tenha sido um dos grandes pecados de DA2.

No início do jogo, os fãs de RPG ficarão desapontados. Como assim, somente três classes? Como assim, somente humano? Onde está a variedade? Sim, concordo com esses pensamentos. Um jogo de RPG restrito a uma classe é ultrajante, principalmente quando anões e elfos estão tão presentes no decorrer da saga. Vários jogos de menor expressão possuem, pelo menos, três raças a serem escolhidas. Além disso, somente Guerreiro, Mago e Ladino estão à disposição. Embora o sistema de build trees seja usado (o que já é algo de praxe em todo RPG) – ou seja, você pode criar um “arqueiro” a partir de um ladino ou um “clérigo” a partir de um mago -, usá-lo como abordagem pra várias classes é desgostoso, a menos que o faça com maestria – o que não é o caso.

Um belo dia para passear

Após a escolha de sua classe, é exibida a animação inicial da partida e o jogo começa de fato. É aqui que você nota que o jogo nada mais é que uma história contada por um anão – que poderia muito bem se passar por um bardo, mas é um arqueiro. A premissa é legal – uma história que é contada, onde suas escolhas interferem completamente na mesma, o que dá uma idéia muito legal de RPG -, mas a história em si deixa a desejar. Sua cidade está em ruínas, o rei está morto e seu personagem está tentando ajudar sua família a sair daquela enrascada. Como previsto, consegue sair – salvo pela mãe de Morrigan, bem diferente aqui – e vai para uma cidade que está a salvo da ameaça, e basicamente é isso. Na cidade, você vai fazendo seu nome, ajudando as pessoas, matando monstros e fazendo amigos e inimigos, sem nenhuma história interessante por trás disso. Seu objetivo é, primeiramente, ser aceito a morar na nova cidade, depois trazer luxo pra você e sua família e, por fim, você faz por fazer mesmo. Você é forte e o povão vai lá pedir sua ajuda, então por que não fazer?

Por sorte, vários outros elementos te ajudam a não parar de jogar. Os gráficos estão realmente muito bons, usando muitos elementos do jogo anterior, te dando uma idéia de conexão entre este e o Origins, e melhorando sombreamento, profundidade e cores. As animações são divertidas e bem construídas, como o uso de bombas de fumaça por ladinos (backstab) e as magias de fogo e gelo. Efeitos sonoros, música e as vozes dos personagens também devem ser destacadas, pois dão muita vida aos ambientes e personagens.

Falando em ambiente, este é um tanto repetitivo, já que o mapa é restrito praticamente a Kirkwall (a cidade pra onde você vai no início do game), com vários ambientes sendo utilizados em lugares com temática parecida (por exemplo, eu me deparei na “casa do tio Gamlem” umas duas ou três conforme eu entrava em algumas casas da cidade para enfrentar inimigos), ou seja, todas as casas de Lowtown são iguais, desde que não sejam sua, dos seus parentes ou dos seus aliados,  e os inimigos, principalmente nos níveis iniciais, não exigem muito trabalho de você, então você não terá grandes dificuldades até o décimo nível, que é onde a coisa começa a ficar boa.

Mira no olho… no olho…

Infelizmente, conforme você vai avançando, você percebe que o jogo também não é muito desafiador. Inimigos mais difíceis, side quests mais interessantes, relações interpessoais mais sólidas, tudo fica mais divertido. O jogo, a partir daí, choca por várias vezes, e isso motiva a continuar jogando pra ver no que vai dar, te prendendo em frente ao PC por horas a fio.

Sei que quem estiver lendo essas opiniões deve estar pensando: “pô, mas então esse jogo é uma porcaria”. Não é. O jogo é bom, e muito bom. Se não é fã de RPGs, ainda vai se divertir. Se é fã de RPGs, vai ser sugado para diversas intrigas e surpresas que o jogo te reserva. Se é fã de Dragon Age: Origins, coloque na sua mente que esse não é Dragon Age: Origins 2 e sim Dragon Age 2, pois os jogos têm preceitos notoriamente diferentes, embora seja o mesmo mundo. A história é mais simples, mas parece ser tratada com mais humanidade, parece ser muito mais viva. Enfim, o jogo tem muito mais profundidade. Então, se você é um carniceiro crush, kill and destroy que só quer saber de entrar em dungeon e atacar brutalmente qualquer coisa que se mexa, realmente talvez o jogo não te agrade muito. Mas vai perder a chance de derrotar um dragão adulto muito bruto.

Nota: 8,0

Outros reviews: Gamespot: 8,0; IGN: 8,5; Total Video Games: 8,0; 1UP: B+

P.S.: desculpem pela demora de atualizar, mas trabalho manhã e tarde e Dragon Age 2 à noite acabam com o tempo de qualquer um =]

Lançamentos do Mês – Mar/2011

Estou de volta mostrando os principais títulos que foram ou estão para ser lançados neste mês de Março. E é bom prestar atenção porque a lista está quente nesse mês:

RiftRift: como foi falado sobre ele no post Rift: Impressões, o MMO chegou no último dia 3 com muita badalação, expectativas e mais de um milhão de assinaturas. Rift chega com a promessa de ser o chamado “MMO da nova geração”, na difícil missão de desbancar o praticamente invencível World of Warcraft. Para que consiga alcançar o topo, anos de desenvolvimento resultaram em gráficos maravilhosos, belas animações, uma forma inovadora de escolher classes (com várias subclasses sendo montadas a partir de classes básicas, através de build trees) e aleatoriedade de batalhas.

Dragon Age IIDragon Age II: o RPG sucesso de crítica e vendas volta com tudo no dia 8. Com uma história interessante e com muitas deixas para a história inicial – o que dá a idéia de um jogo intrinsecamente conectado ao outro -, um sistema de batalhas mais preciso, e gráficos exuberantes, Dragon Age II tem tudo para arrebentar ainda mais que seu predecessor e já é cotado como favorito para a premiação de Jogo do Ano.

Shogun 2: Total WarShogun 2: Total War: 10 anos depois, o shogunato retorna no dia 15 com gráficos fantásticos e prometendo ser mais desafiador. Embora a série Total War tenha um histórico de Inteligência Artificial problemática,  tem se falado que, dessa vez, a IA não será problema. Esperamos que isso seja verdade, então comece a trabalhar seu raciocínio, a fim de que suas estratégias estejam mais afiadas que a lâmina de uma katana.

HomefrontHomefront: Muito tem sido comentado sobre esse FPS que se passa no ano de 2027, por tudo que foi investido nesse game. Pra começar, o game tem roteiro do escritor John Milius (Apocalypse Now e Conan, o Bárbaro), o que já enriquece o material. Além disso, os gráficos e animações estão bem caprichados e a tensão pode ser já nos trailers do jogo. Pena que tudo o que tem sido falado e visto só poderá ser experimentado por nós no dia 15.

Crysis 2 Crysis 2: 11 entre 10 PC gamers, no mínimo, já ouviram falar de Crysis e no impacto causado por ele na indústria, de um modo geral e, principalmente, na influência causada nos FPS que vieram depois. Tido como referência para percebermos se um desktop roda os principais jogos da época (frases como “se seu PC roda Crysis no máximo, ele é uma supermáquina” eram comuns na epóca), seu retorno triunfal está marcado para o dia 22.

Assassin's Creed: BrotherhoodAssassin’s Creed: Brotherhood: Depois de muito enrolar, encontros e desencontros, e postergar o lançamento desse título para o PC, tenho certeza que todos nós esperamos que AC: Brotherhood esteja a partir do dia 17 – quatro meses após seu lançamento para PS3 e XBOX360 – na prateleira das nossas lojas preferidas, como prometido – e visto no post Curtinhas 002.

The Sims MedievalThe Sims: Medieval: pra quem gosta do simulador de “vida cotidiana”, mas estava cansado de sempre ter que consertar seu computador virtual, apareceu uma nova temática para desafiar: viver sem computador, na época medieval. A partir do dia 22, os fãs da série The Sims terão novos desafios em um tempo remoto e nunca visitado.

Shift 2 Unleashed: Need for SpeedNeed for Speed: Shift 2 Unleashed: no dia 29, chega às lojas a sequência de N4S Shift, que veio para bater de frente com seu grande concorrente, a aclamada série de corrida Gran Turismo. Depois do fiasco do primeiro título, vários detalhes foram tratados cuidadosamente e espera-se que Shift 2 Unleashed apague a má impressão causada.

Dragon Age II, Games de Kinect pra PC e cheiro em jogos

Depois de um tempinho ausente, graças à pouca (e/ou desinteressante) movimentação no mundo dos desktop gamers (e um probleminha ocular no meu mundo), algumas notícias interessantes começam a aparecer.

A primeira (e menos importante) é que o demo da sequência de Dragon Age II foi lançado hoje, mas ele está disponível apenas pro pessoal que está navegando na XBOX Live e na PSN (só pra variar um pouquinho, né).

A segunda (e bem mais interessante) é a liberação da Microsoft para produção de games de Kinect para nosso amado PC. Serão enviados kits (os bons e conhecidos SDK’s) de desenvolvimento para vários estúdios de desenvolvimento de jogos até junho desse ano e deverão estar à disposição também para desenvolvedores e curiosos poderem baixar, inclusive com toda a parte de captura de movimento e reconhecimento de aúdio. Depois que hackearam o aparelho e o youtube encheu de vídeos de pessoas fazeram mil peripécias com ele, acho que a gente não podia esperar algo de diferente da empresa, né. Bom senso: você está fazendo isso (um tanto) certo.

Cheirooooso...

Pra completar, um dispositivo USB muito inusitado vai ser lançado no Natal. Um emissor de cheiros chamado de ScentScape. Isso. É, emissor de cheiros. Os jogos que suportarem essa tecnologia indicarão ao sistema um dentre 20 tipos de odores e o quanto dele será emitido. Cada dispositivo vai custar próximo de 70 dólares, com cada “cartucho” de cheiro de 200 horas de uso custando 24 dólares. Talvez o preço seja meio salgado pra algo que pode ser considerado supérfluo, talvez você esteja lendo e falando pra si mesmo: “Ah! Isso vai ser modinha pro três meses e pronto. Mas já estou imaginando aquele cheirinho de sangue ao acordar (e ir jogar Left 4 Dead 2) e o “prazer” que seria jogar DotA com Pudge…