AC Rogue

Tudo sobre Assassin’s Creed Rogue

A Ubisoft tem uma filosofia interessante de não deixar os fãs de Assassin’s Creed isolados, mesmo quando lança um game para plataformas específicas. Isso já aconteceu com o AC Liberation, que foi lançado para o VITA, ao mesmo tempo de ACIII. Mais tarde, sua versão HD viria para PC, PS3 e X360, mas você entendeu aonde quero chegar.

Algo parecido acontece com essa nova geração. Depois do anúncio de Assassin’s Creed Unity, e sua exclusividade para nova geração (PC, X1 e PS4), alguns fãs sentiram-se meio órfãos, pois teriam que comprar um console nextgen para poderem acompanhar a série ou esperar por mais um tempo.

Eis que surge agora Assassin’s Creed Rogue, que será apenas para a lastgen (PS3 e X360). Sua divulgação ocorreu durante essa semana, depois do vazamento, primeiro, em um site de um revendedor na Suiça, e, mais tarde, com o trailer de divulgação do game. Por sinal, eu queria entender como a Ubisoft consegue deixar vazar tantas informações a respeito de seus jogos (ou se fazem isso justamente como uma jogada publicitária). De qualquer forma, isso forçou (ou não) a empresa a divulgar o novo título, cujo trailer, agora oficializado, pode ser visto logo aí abaixo.

[youtube=”https://www.youtube.com/watch?v=7c9e_LUGHwo”]

Dessa vez, você entra na pele de Shay Patrick Cormac, um Assassino que trai a Ordem e se junta aos Templários (por isso mesmo, o nome “Rogue” veio bem a calhar para o título, conhecido antigamente como “Comet”). É o primeiro jogo da série que trata do assunto de tal forma, o que já é um grande ponto positivo, na minha opinião, até mesmo porque será mais uma vez ambientado nos EUA, durante a Guerra dos Sete Anos. Além disso, jogar com um Templário pela primeira vez pode dar uma ótica bem diferente da rivalidade com os Assassinos. A desenvolvedora descreve AC Rogue como “o capítulo mais sombrio da franquia”.

Shay, personagem principal de AC Rogue

Dessa vez, você encarna Shay, um ex-Assassino que trai seus companheiros e vira um Templário

 No começo da obra, Shay é apenas um recruta de 21 anos que “não leva seu papel muito a sério” na Ordem dos Assassinos, “não porque ele não acredite na causa, mas por ser jovem e ainda não muito sábio”, revela Richard Farrese, o escritor do jogo, para o site Game Informer. No entanto, após um evento traumático em sua vida (Assassin’s Creed III? Alô?), ele muda de lado e começa a caçar seus colegas. Ivan Balabanov, produtor do título, descreve essa mudança: “[Antes desse evento acontecer], ele é inconstante e não muito sério enquanto personagem. (…) Então, vemos sua transformação em um personagem dedicado e bem sombrio, que persegue seus antigos companheiros por algo que ele realmente acredita ser o melhor caminho”.

Como dito, a ambientação se passará durante os acontecimentos da Guerra dos Sete Anos, entre 1752 e 1761 (o conflito se iniciou em 1754 e teve seu período mais conturbado entre 1756 e 1763), que envolveu Américas do Norte e Central, Europa, a costa oeste da África, Índia e Filipinas. A guerra teve repercussão direta na Revolução Francesa, cenário em que Assassin’s Creed Unity é ambientado, e provavelmente teremos ligações dos acontecimentos nos dois games. O game completa a “saga norte-americana” e, por isso mesmo, devemos encontrar personagens dos games anteriores dessa série, como Haytham Kenway. Também terá uma forte influência naval, assim como os últimos títulos, e Shay tem seu próprio barco, o Morrigan.

Shay em combate

Shay combate seus antigos companheiros em Assassin’s Creed Rogue

Assassin’s Creed Rogue estará nas lojas a partir do dia 11 de Novembro, duas semanas depois do Assassin’s Creed Unity, e não terá multiplayer, algo que não acontecia desde Assassin’s Creed II. A pré-venda conta com a DLC Ultimate Hunter Pack, que inclui novas armas e itens para o barco, além de uma nova missão, The Siege of Fort de Sable.